quarta-feira, 30 de abril de 2014

"Odeio vagabundos baratos" e o Discurso de Dilma

Adoro Casablanca. Obra prima do cinema repleta de grandes passagens. Numa delas um picareta faz a seguinte pergunta: "Ricky, eu faço exatamente a mesma coisa que ele... mas cobro um preço menor. Se você é amigo dele, por que me odeia?". Nesse momento Ricky (Humprey Bogart) dá sua resposta clássica: "Odeio vagabundos baratos".

A lição de Ricky tem um profundo sentido econômico: não é possível a uma sociedade repleta de vagabundos baratos ser sustentável a longo prazo. Se as pessoas se vendem por qualquer saquinho de pipoca, simplesmente é impossível implementar um sistema estável de livre iniciativa nessa sociedade. O sistema de livre iniciativa é baseado em confiança, em contratos voluntários e não-escritos. Sem confiança esse sistema é operacionalmente inviável.

Faço minhas as palavras de Ricky, e as aplico ao discurso da Presidente Dilma. Dilma trata aos brasileiros como vagabundos baratos. Nos trata como se pudesse nos comprar com um saquinho de pipoca. Seu governo é um desastre. Seu governo substitui o mérito e o trabalho duro por arranjos políticos. Seu governo aparelha instituições e destrói a credibilidade do Tesouro, do Banco Central e de uma série infindável de instituições respeitáveis de nosso país. Contudo, a presidente nos trata como vagabundos baratos. Acredita que basta nos jogar migalhas para que esqueçamos os desmandos e fracassos de seu governo. Fracasso no combate a inflação, fracasso no crescimento econômico, fracasso nas contas públicas, fracasso na saúde, fracasso na educação, fracasso na segurança, e um fracasso moral no combate a corrupção.

Dilma acredita que aumentar o valor do bolsa família irá salvar seu governo. Acredita que aumentar o desconto do IR irá salvar sua reeleição.

Odeio vagabundos baratos, o povo brasileiro vai dar sua resposta nas urnas.

7 comentários:

José Matias Pereira disse...

A marca do atual governo é a incompetência, o engodo, a mentira e a corrupção. Agora que o povo começou a despertar para os caos instalado pelo governo (apoiado pelos líderes bolivarianos brasileiros) na gestão pública e na economia, elles estão alegando que está em curso um "políticídio" com o partido delles. Não é nada disso, o que está havendo é o suicídio do partido, pelo seu legado de caos, incompetência, arrogância, autoritarismo e corrupção, nos últimos 12 anos.

André Rezende Azevedo disse...

Expressões de uma ética podre. Que as urnas possam conter sua disseminação...

Anônimo disse...

4,5% pra quem trabalha e 10% pra quem não trabalha. Linda homenagem ao trabalhador brasileiro.

Ricardo R disse...

o pessoal do borsa famia ja vai votar nela. nao ganho voto nenhum. só o ódio da classe média que tá sendo espoliada por esse gov, e q se irrita com tanta vagabundagem sendo recompensada.

Anônimo disse...

E se a resposta das urnas for a reeleição?

Anônimo disse...

Excelente post, direto ao ponto.
Alvaro

samuel disse...

E se a resposta das urnas for a reeleição?
Desce o pano .... é o último ato. É o fim de um país outrora promissor...
O último que sair, apague a luz, kkkkk

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email