sábado, 5 de setembro de 2015

O Brasil e a História da Guerra do Peloponeso

A guerra do Peloponeso foi disputada entre as cidades estado gregas, de um lado Atenas do outro Esparta. No esplêndido livro "A História da Guerra do Peloponeso", o general ateniense Tucídides, temos uma passagem marcante "(...) e isso só terminaria com o incêndio do Pireu". Pireu era o porto ateniense, e a frase foi dita logo após a derrota numa batalha importante.

O parágrafo acima mostra que Tucídides rapidamente compreendeu a extensão de determinada derrota. Hoje a maior parte dos brasileiros ainda não compreendeu a extensão de nossa derrota. Os últimos anos praticamente implodiram nossa economia e sociedade.

Do ponto de vista econômico, é possível verificar uma clara mudança de postura da política econômica a partir de 2007 (meu amigo Roberto Ellery argumenta que a inflexão começou já em 2006). Tal mudança implodiu a economia brasileira: pouca preocupação com o déficit público (em especial uma crença de que não há problema algum num aumento da dívida pública), descaso com a inflação (num claro abandono do sistema de metas de inflação), e uma política cambial confusa que ora tenta desvalorizar ora valorizar o câmbio. Cresce a intervenção do governo no gerenciamento microeconômico das empresas. Seja alterando contratos (como no caso do setor energético), seja exigindo a demissão de funcionários do setor privado que criticam o governo petista, ou ainda usando o BNDES para direcionar o investimento (como no caso dos "campeões nacionais"). Nessa bagunça toda, ainda sobrou tempo para o governo reduzir artificialmente a taxa de juros inflando o crédito (o que elevou a probabilidade de inadimplência de boa parte dos brasileiros, e gerou grandes distorções no investimento privado). A essa confusão foi dado o nome de "Nova Matriz Econômica" (da qual o atual Ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, foi um dos idealizadores).

Do ponto de vista social, políticas que dividem a sociedade: mulheres contra homens, negros contra brancos, homossexuais contra heterossexuais, entre outras, passaram a ser regra. A demonização de adversários políticos, ou de simples pessoas que discordavam do regime petista, passou a ser rotina. Hoje quase 60 mil brasileiros são ASSASSINADOS por ano, o número de roubos é absurdamente alto, invasão e destruição de propriedade privada é rotina, mas a esquerda insiste em ignorar esses números de desintegração social.

A previdência é uma bomba relógio, existem esqueletos e mais esqueletos nas contas públicas (BNDES, CEF, petróleo, eletrolão, contas dos estados e municípios, etc.), a renda do brasileiro esta caindo e o desemprego aumentando. E eu pergunto a você nobre leitor: onde estão as reformas de que o país precisa? Onde esta a reforma tributária, a reforma previdenciária, a reforma na legislação trabalhista, a abertura econômica, e toda outra sorte de reformas necessárias para recolocar nosso país nos eixos?

Estamos caminhando firme e forte para mais uma década perdida, ou fazemos as reformas ou elas nos serão impostas a um custo maior. Infelizmente, creio que isso só terminará com o incêndio do Pireu.

3 comentários:

Anônimo disse...

No nosso caso, seria o porto de santos?

ANTONIO CARLOS Hindo disse...

Adolfo vc está corretíssimo ! Td isso que está acontecendo em nosso país, se deve à própria sociedade brasileira, cujo maior sonho, é ser dependente do ESTADO ( funcionário público ). Bem fez o Constantino que se mandou daqui ✈️✈️

JonasFederighi disse...

Top Adolfo, vamos trabalhar para tirar a caneta da plebe. abs

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email