sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Em Defesa dos mais pobres!!! Pelo fim da obrigatoriedade das disciplinas de Filosofia e Sociologia no Ensino Médio


Sejamos claros, na média, o aluno brasileiro não sabe ler e nem escrever, também não sabem fazer contas simples. Num país com esse perfil é absurdo que os alunos do ensino médio sejam obrigados a terem aulas sobre sociologia e filosofia. O óbvio seria concentrar a carga horária num rol restrito de disciplinas, preferencialmente português e matemática.

Certamente existem vantagens numa educação geral. Contudo, tais vantagens tem por pressuposto que os alunos saibam antes a ler, escrever e interpretar textos. Nao apenas isso, num país onde 7 a cada 10 alunos estão abaixo do nível esperado em português, e incríveis 9 a cada 10 estão atrasados em matemática, parece claro que são nessas matérias que devemos focar nossas prioridades.

Agora peco a vocês: POR FAVOR, vamos dar uma chance aos mais pobres!!!! POR FAVOR, VAMOS DEFENDER OS MAIS POBRES!!! Quando um aluno rico não aprende português ou matemática no colégio sua família pode ajuda-lo em casa, ou então podem contratar um professor particular. Já para as famílias pobres isso não é verdade. Um aluno pobre que não aprenda português ou matemática no colégio não terá como recorrer a um professor particular. Em outras palavras, quando o pobre não aprende matérias básicas no colégio ele tem muita dificuldade de aprender isso em casa, pois não tem as mesmas vantagens dos alunos ricos.

Sacrificar carga horária que poderia estar sendo aplicada em português e matemática em matérias como sociologia, filosofia, espanhol e artes é uma tremenda punição aos alunos mais pobres, e irá ajudar a perpetuar a pobreza e aumentar a concentração de renda (afinal os alunos ricos vao se distanciar cada vez mais dos alunos pobres).

Note que minha proposta tem a vantagem de ser facilmente implementável e NAO aumenta os custos (o que é uma importante vantagem num ambiente onde o governo federal passa por um ajuste fiscal, e os governos estaduais e municipais tem grande dificuldade em saldar suas contas).

Concentrar a educação nas disciplinas de português e matemática, tornando optativas as disciplinas de sociologia, filosofia, espanhol e artes, é uma clara política em defesa dos mais pobres! Vamos dar uma chance aos mais pobres!!! Chega de punir os que não tem como contratar professores particulares, chega de punir os mais pobres!

5 comentários:

Anônimo disse...

Finalmente algum comentário sensato sobre isso.

Anônimo disse...

Chance aos pobres? Sei ha tá só com português e matemática? 😅😅😅

Anônimo disse...

Tchê Adolfo ... Saudações!

Tenho dois filhos e, regularmente, tenho que ajuda-los (está sem acento por causa do corretor ortográfico analfabeto) com as tarefas de filosofia.

Simplesmente impossível ...

Minha formação em humanas e exatas (com direito a doutorado) não me habilita a 10% de certeza em alguma das questões que lá são apresentadas.

Se eu acreditasse em teorias conspiratórias ... bem ... vou parar por aqui ...

Anônimo disse...

Até concordo, mas isso é só um paliativo, enquanto o metodo socioconstrutivista existir nas escolas brasileiras a analfabetização nunca vai diminuir de formar rapida.

samuel disse...

até que enfim uma reforma sensata, racional. Aliás existe somente duas vertentes a Racional e a Estupidês. A primeira associada à direita e a segunda à esquerda.
Pra que filosofia se o aluno não sabe ler ou escrever? Acaba servindo somente para doutrinação rasteira. GRANDE REFORMA! As Marilenas Chauí da vida vão ter que achar outro ganha pão!

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email