quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Se o feto nao é um ser humano, entao o que ele é?

Quem defende o aborto costuma dizer que o feto não é um ser humano (ou que só se tornará humano depois de determinado período de tempo). Entao resta uma pergunta: se o feto não é um ser humano, então o que ele é?

Vejamos: em bilhões de casos, distribuídos ao longo de séculos, todo feto que teve a chance de se desenvolver resultou num ser humano. Isso não é uma opinião, isso é um fato. Será que isso não é evidência suficiente? Alguém conhece um único exemplo na história da humanidade onde uma mulher grávida deu à luz a algo diferente de um ser humano?

A evidência é clara: todo feto, se tiver a chance de se desenvolver, dará origem a um ser humano único e diferente de seus progenitores. Matar o feto significa impedir o nascimento de um ser humano.

Muitos dizem que essa deve ser uma escolha da mulher. Contudo se esquecem que tal escolha já foi feita. Quando um casal resolve fazer sexo, sempre existe a chance da mulher engravidar. A gravidez é uma consequência de um ato voluntário (o estupro é certamente uma exceção a essa regra).

Muitos dizem que o corpo é da mulher, logo ela deve ser soberana para escolher. Contudo isso esconde o fato óbvio de que a criança em seu ventre NAO PERTENCE ao corpo da mulher. O feto, o futuro ser humano, é o começo da vida de um novo e único ser humano. Matar o feto implica necessariamente em matar esse futuro ser humano (quanto a isso não restam dúvidas).

A vida é o princípio mais importante de nossa civilização. Sem o direito a vida inexistem o direito a propriedade ou a liberdade.

A tecnologia avanca a cada dia, em breve saberemos de doenças do bebe antes mesmo que este nasca. Será que iremos apoiar a eugenia? Será que daremos o direito aos futuros pais de matarem crianças que não estejam de acordo com as características que estes queiram? Liberar o aborto é apenas o começo. Defender a vida desde sua concepção é nossa garantia de que toda vida é preciosa e deve ser protegida.

3 comentários:

Unknown disse...

Vamos inverter o ônus da prova. Que tal você apresentar argumentos para justificar o direito do Estado, em nome da sociedade, meter uma mulher em uma jaula durante anos porque ela não quis levar adiante uma gravidez?

Anônimo disse...

Essa é fácil, assassinato é crime.

Roberto Horta disse...

Invertendo o onus da prova; que tal você não tivesse nascido porque sua mãe te abortou? Você não estaria aqui falando besteira.O feto é um ser humano em desenvolvimento logo mata-lo é crime, como seria algum matar a sua mãe.Não seria justo este assassino ir para a cadeia. Seria o Estado em nome da sociedade enjaulando alguém só porque matou sua mãe. Você seria contra esta condenação???? Ou não????? Tá bom ou quer mais?

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email