sábado, 28 de janeiro de 2017

Por que a inflacao brasileira caiu?

A inflação brasileira medida pelo IPCA fechou 2016 em 6,3%, dentro do intervalo da meta, e bem abaixo dos 10,6% de 2015. Nao restam dúvidas que tal desempenho surpreendeu positivamente a esmagadora maioria dos analistas de mercado, jornalistas econômicos, e economistas em geral. Entao resta a pergunta: por que a inflação brasileira, medida pelo IPCA, caiu?

Como a dívida pública e a questão fiscal continuam calamitosas, e a taxa de juros subiu ao longo do ano passado, me parece que a explicação de dominância fiscal não é a resposta. Note que a questão de dominância fiscal pode sim ter desempenhado papel importante entre 2014 e 2015, mas não parece ter sido a razão da queda da inflação em 2016. Aos que quiserem um estudo mais técnico, sugiro o artigo de Mendonca, Moreira e Sachsida (2016) (os interessados podem enviar um email para sachsida@hotmail.com que envio o artigo completo).

Outra explicação é a curva de Phillips: a enorme recessão puxou para baixo a inflação. Muitos defendem essa explicação, eu discordo. Vários de meus estudos técnicos mostram que a curva de Phillips não pode ser usada para explicar a inflação no Brasil. Aos que quiserem um estudo mais técnico, sugiro a leitura da revisão de literatura sobre o tema feito por Sachsida (2014) (publicado na Revista Brasileira de Economia).

Os estudos técnicos que realizei sobre a dinâmica da inflação no Brasil (medida pelo IPCA) me levam a apontar as expectativas de inflação como o principal componente da inflação brasileira. Você pode ler um desses estudos clicando aqui.

Em resumo, minha explicação para a queda da inflação brasileira foca nas expectativas de inflação. Com a mudança de governo no meio de 2016, e a consequente mudança nos rumos da política monetária, ocorreu um aumento significativo na credibilidade do Banco Central. Tal aumento de credibilidade ancorou as expectativas de inflação fazendo com que a mesma caísse ao longo do ano. Sendo assim, deixo aqui meus parabéns a toda equipe do Banco Central do Brasil. Outras vezes fui bem crítico com vocês, mas aqui não restam dúvidas (de minha parte) que o Banco Central do Brasil fez um excelente trabalho.

2 comentários:

Anônimo disse...

Acredito que o debate não seja em torno de a inflação ter reduzido ou não. E se as expectativas tiveram papel nisso.
Mais questionável é que em dois ano e meio de recessão a inflação persiste acima da meta. Este é o ponto a ser explicado. Ainda mais que por mais que reduzam os juros eles permanecem como o mais alto do mundo em termos reais.
A dominância fiscal, me parece, trata mais desta estrutura do que do movimento.
Certo?
MF

Anônimo disse...

Energia elétrica, combustíveis e loterias explicam 3/4 da queda da inflação e você vem com essa conversa fiada de expectativa de inflação causando inflação? Se os aumentos dessas três rubricas em 2016 tivessem repetido 2015 a inflação seria quase a mesma. E dizer que curva de Philips não existe no Brasil é outra bobagem. Na sua série tem 11 trimestres de queda mo PIB? As condições atuais são totalmente diferentes das observadas em períodos anteriores. Algo semelhante aconteceu pela última vez em 1990-92. Como você explica a alta frequência de reajustes salariais abaixo da inflação em 2016? Nunca vi sindicato forward-looking, eles sempre sentam na mesa olhando a perda de poder de compra nos 12 meses anteriores.

Mônica do Bolo

Google+ Followers

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Follow by Email